Mensagem Dia das Mães para quem é Pai Viúvo

4 thoughts on “Mensagem Dia das Mães para quem é Pai Viúvo

  • 08/08/2016 at 14:30
    Permalink

    Nossa …vc não sabe como me fez bem seus videos…eu ainda não consigo fazer o mesmo ..falar com meu filho de 4 aninhos …eu mudo de assunto…
    Não sei se aconteceu o mesmo com vc..mas eu mudava de canal sempre que tinha um desenho que falava sobre pai..por exemplo o desenho do cailou…meu filho pode estar distraído brincando..mas quando fala a palavra pai na TV ele para tudo e fixa os olhinhos ..nem pisca… outro dia ele disse que ia colocar uma escada bem grandona pra conseguir chegar no céu..nunca consegui usar a palavra morreu…queria ter a força que vc tem ..quem sabe um dia… obrigada..a Rafa é muito esperta e especial… parabéns pela educação que tem dado a ela..vai dar tudo certo…?

    Reply
    • viuvo
      08/08/2016 at 15:58
      Permalink

      Eu usei a palavra “morreu” desde o primeiro dia, quando eu contei pra ela. Tinha muito medo que achasse que a mãe fosse voltar e começasse a viver uma fantasia. Por isso sempre fui direto e, se falassem de morte na tv, eu não mudava de canal. Mas fiquei preocupado quando fomos no programa Encontro com Fátima Bernardes (entrevista), não sabia ao certo qual seria a reação dela. No final, deu tudo certo.
      A tristeza aparece às vezes, mas nada fora do controle. Estamos bem, obrigado!

      Reply
  • 08/08/2016 at 00:04
    Permalink

    Oii
    A foto da ponte é simplesmente linda, mas justamente pela resignificação que você deu a ela! Parabéns pela filha linda, força e luz para vocês! Ah… Parabéns pelo blog!
    Sou divorciada há 4anos. No começo me senti totalmente perdida, até pela maneira como aconteceu. Senti que estava sendo obrigada a enterrar meu amor, e foi isso que fiz. De certa forma, vivi um luto. A pior parte foi não saber o que falar para minha filha de 4 anos, também tinha um bebê de dois anos. Hoje eles estão com 7 e 5 anos. A dor da perda, independente da forma como aconteça, deve ser vivida. Isso ajuda no processo evolutivo da vida. Viver a dor com a intensidade que ela impõe, pode parecer masoquista demais para alguns, mas é, de certa forma, libertador. Dar-se o direito de chorar e sofrer por um amor que se vai, limpa o coração para que outros amores possam continuar morando em nós. Nesse caso, nossos filhos.
    A vida sempre continua…

    Reply
    • viuvo
      08/08/2016 at 08:23
      Permalink

      Obrigado pelas palavras, Patrícia.

      Reply

Comente o artigo

%d blogueiros gostam disto: