Vivência do luto na educação infantil

Vivência do luto na educação infantil

Vivência do luto na educação infantil

Escrito por Andriele Bittencourt Oliveira – Como trabalhar o luto na educação infantil

No momento do luto a melhor forma de se superar essa fase muito difícil é através da ajuda dos amigos e dos familiares. Principalmente daqueles que fazem parte do cotidiano da criança. Foi dessa maneira que a turma se uniu para auxiliar a Rafaela a passar por este momento tão delicado que foi o luto de sua amada mãe.

O amor e a união dos colegas e amigos foi unânime para dar apoio a ela. As primeiras atitudes tomadas com a turma ocorreram da seguinte forma: antes da “Rafinha” voltar ao convívio com os colegas, conversei no momento da “rodinha” explicando de uma maneira simples e até mesmo lúdica para eles o que havia acontecido, “que a mamãe de Rafaela  havia ficado muito doente  e o seu coração adormeceu e ela havia virado uma linda estrelinha no céu!”. Pedi para que dessem bastante carinho a ela e que respeitasse os momentos de tristeza da amiga e que não ficassem questionando o “por quê” da tristeza. Quando Rafaela retornou os colegas a acolheram com muito carinho. Nos momentos de choro, também dei o colo necessário para ela quando “pedia pela sua mamãe.” Foram muitas as vezes que também precisei segurar o choro para não passar mais  tristeza a ela.

como trabalhar o luto na educação infantil

Rafaela passou a representar graficamente seu luto e a maneira dela ver agora a mãe como uma linda estrela. Entre desenhos e lágrimas, colos e abraços, Rafaela foi recuperando a sua alegria novamente.

Com certeza ela não esqueceu e nunca vai esquecer a mãe que a gerou e que a ama onde ela estiver que esteja, seja na Terra ou no céu! Rafinha ainda fala na mamãe e sente sua falta, mas quando ela sente muitas saudades pede um abraço e se acalma. E ela ganha um, dois, três abraços, quatro… tantos quantos ela precisar para ficar feliz! Pois é isso que a sua mãe estrelinha lá do céu quer que ela seja muito, mas muito feliz  aqui na Terra!

Andriele Bittencourt Oliveira é a Professora da Rafa no Jardim 2

Veja artigos relacionados com “Como trabalhar o luto na educação infantil

5 comentários em “Vivência do luto na educação infantil

  1. Paula Kaipper

    Obrigada prof Andri. O seu carinho,cuidado com a Rafinha foi essencial nesse período tão difícil.Ainda me dói muito ver a Rafinha crescer sem a mãe.Faço o que posso para vê-la feliz, mas sempre penso que não é o suficiente.Obrigada por tudo!!!!

  2. Letícia Garibotti

    Convivemos com a Rafa e estamos nos surpreendendo com a força dela,força essa que tem seus momentos de grande saudade,a estrelinha foi nossa melhor definição no momento de falarmos do ocorrido, foi a maneira mais doce de falarmos que a mãezinha não estaria mais conosco mas q ainda estaria aos nossos olhos…enfim com o carinho de tantos que querem a família bem,a Catarina “prima” fiel companheira assim como todos os amigos e familiares,cobrimos de abraços, bjinhos e rosquinhas toda vez que a saudade vem,um abraço prof.pelo carinho com nossa pequena gigante!tia da Rafa!

  3. Joselaine

    Obrigada Prof
    amei teu texto e teu carinho com a Rafaela
    tua descrição sobre o que aconteceu me emocionou
    todos ainda sentimos muita falta, saudade
    mas com certeza a Rafa, a Bia e o Ronaldo precisam de todo o carinho e abraços
    forte abraço

  4. Cristiano Vilela

    Nós vivemos junto da Rafa e da família todos estes momentos. A saudade vai ser eterna, e muitas vezes a tristeza bate com força e ainda tenta nos derrubar. Mas, como a prof Andri escreveu, com muitos abraços conseguimos ver a alegria novamente, isto vale para a Rafa e para todos os papais que tiveram o privilégio de conviver com a estrelinha Eliane.

  5. sylvia cardoso

    Pessoas como o papai, esta profe linda, e os amigos, com certeza tornaram mais ameno esta passagem na vida da Rafa…. Eu, mesmo sem conhecê-la, agradeço a Deus por tudo o que fazem por esta pequena família! Sigam em paz…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *