Minha filha quer ser YouTuber

Minha filha quer ser YouTuber! O que eu faço agora?

Acho que criei um monstro 😀 .

Quando a Rafa perdeu a mãe aos cinco anos de idade, fiz de tudo para que ela expressasse o que sentia. Mas isso precisava ser de uma forma espontânea e divertida.

Dei uma um caderno de desenho, canetinhas e uma caixa de lápis de cor. Desenhava o tempo todo: dentro do carro, quando acordava, antes de dormir, fazia desenhos até na hora do almoço.

Descobri que ela adorava assistir canais de meninas Youtubers. Tive a ideia de gravar vídeos da gente fazendo brincadeiras e falando da saudade que sentíamos da sua mãe.

Postei os vídeos e os desenhos no Facebook e no YouTube. Não demorou muito e a mídia nos descobriu. Fomos convidados a participar de vários programas de TV e rádio, como Globo, Record, JovemPan entre outros que nem lembro mais o nome.

A Rafinha gostou tanto de fazer vídeos que agora, aos 10 anos de idade, quer ser YouTuber. Passa o dia com o celular na mão, andando pela casa e gravando tudo.

 

Caí em uma Trolagem de YouTuber Mirim

Criar Trolagens é o tipo de vídeo preferido da minha filha. Você sabe o que é “trolagem”, Trolagem é a antiga “pegadinha” que a gente assistia no programa do Silvio Santos.

Funciona assim: ela deixa o celular escondido em algum lugar da casa e faz uma pegadinha comigo.

Um dia ela escondeu o cinto da minha calça atrás do cesto de roupa suja e disse que tinha visto um bicho. Preocupado, vou a caça do animal peçonhento e levo um susto com o cinto que parece uma cobra.

É claro que nunca dá certo, mas eu sempre finjo que caí na trolagem.

 

Seu filho quer ser YouTuber e você não sabe o que fazer?

Se você está preocupado porque seu filho quer ser YouTuber, não se desespere, você não está sozinho.

Ser YouTuber está na moda entre crianças e adolescentes. Tem até curso para Youtubers Mirins, como da HappyCode.

Fiz uma pesquisa para saber a opinião dos psicólogos. Vou escrever aqui o que eles dizem a respeito e a minha opinião pessoal com base na minha experiência como pai trolado.

Então continue lendo para saber mais sobre o assunto “Meu filho quer ser YouTuber, o que eu faço?

 

O que os psicólogos pensam sobre deixar crianças serem Youtubers

Pesquisei muito em depoimentos de psicólogos sobre deixar crianças terem um canal no Youtube e se tornarem Youtubers. Gostei deste site que fala um pouco sobre o tema Youtubers mirins.

É unanimidade entre os especialistas em psicologia infantil que o mundo virtual está presente na vida das crianças e não pode ser ignorado. Os vídeos na internet estão substituindo os programas de TV e novos ídolos, como Youtubers Mirins, surgem a todo momento.

Desdenhar a vontade da criança em se tornar um YouTuber é frustrar um sonho que muitas vezes pode ser uma vontade passageira ou uma futura profissão na área da comunicação.

A forma de lidar com a criança youtuber também depende da idade. Cada caso é um caso.

 

Aumento da ansiedade com o número de inscrições no Canal

A criança fica frustrada com o baixo número de inscrições e visualizações do canal. É comum eles desistirem por esta razão.

Na minha opinião, uma boa conversa ajuda. Diga que todo YouTuber começa com zero inscrições e aos poucos os número de fãs aumenta.

As comparações com o canal de um coleguinha da escola ou de algum amigo são inevitáveis e pode até haver alguma competição entre eles, como quem tem mais inscritos ou quem fez o melhor vídeo.

Não acho isso ruim. Pelo contrário, eles aprendem a melhorar seu senso crítico, se esforçam para serem mais criativos e aprendem a lidar com a frustração.

A competição precisa ser saudável e nada de deixar fazer vídeos falando mal do canal do amigo, portanto a supervisão é a tarefa mais importante para os pais de Youtubers Mirins.

 

Controle tudo. SEMPRE!!!!

Esta é a parte que todos os pais vão dizer “ISSO É ÓBVIO”. Claro que é, mas infelizmente não é tão simples como parece.

Fica mais fácil controlar quando a criança tem menos de 13 anos porque o YouTube não permite criação de canal com menos idade. A partir dos 13, o menino ou menina podem postar vídeos indevidos para o canal e são perigosos para sua segurança.

Nessa idade, o cuidado precisa ser redobrado e cabe aos pais e responsáveis ter controle total sobre o acesso a conta e aos vídeos produzidos.

 

Dicas de segurança para Youtubers Mirins

• Controle total da conta e da produção dos vídeos. Crie a conta do YouTube do Gmail do pai, da mãe ou adulto responsável e jamais passe a senha para a criança. Dessa forma, seu filho não poderá subir vídeos ou fazer lives.

• Todos os vídeos postados precisam ser classificados no painel do YouTube como vídeo para crianças, assim os comentários serão bloqueados. Isso evita comentários indesejados.

• Os temas abordados no vídeo não devem mostrar a rotina real da criança nem endereço da residência ou escola.

• Lembre-se de que os vídeos são classificados para crianças, portanto o tema precisa ser para crianças, sem assuntos polêmicos. Os pais serão responsabilizados legalmente por conteúdos indevidos para o público infantil. Fique atento a qualquer possível interpretação distorcida do que está sendo mostrado no vídeo, bem como as falas das crianças e áudio.

• Atenção às roupas que a criança veste. Tem muita gente com péssimas intenções na internet. Vista a criança com roupa de criança e evite vestuário muito sensual ou poses sensuais.

• Evite vídeos mostrando os objetos da casa ou sua posses. Já vi declarações de bandidos que descreveram suas táticas. Antes do assalto a uma casa, analisavam o Facebook e Instagram da possível vítima, suas posses, seus móveis, TVs, carros, endereço, enfim, tudo. Sugiro que crie um cenário em sua casa para fazer as brincadeiras.

 

Minha opinião sobre segurança no YouTube

Minha sincera opinião é: eu preferiria que minha filha não tivesse um canal! Mas é uma boa oportunidade para ela desenvolver a criatividade e a expressar-se melhor, portanto fomos em frente com o canal da Rafa.

Tenho preocupação com a segurança dela. Testei alguns minutos de fama quando estivemos no program da Globo “Encontro com Fátima Bernardes”.

Fiquei bastante assustando quando algumas pessoas no aeroporto, durante nosso retorno para casa, se aproximaram da Rafa para conversar porque a reconheceram no program da TV.

No entanto, percebi que foi muito bom para ela e perdi o medo (ou pavor) de aparecermos na mídia. Não vai fazer mal nenhum deixar que ela poste alguns vídeos de brincadeira em seu canal, desde que a gente siga as regras de segurança.

Para encerrar este artigo, faço uma alerta para os pais que querem ganhar algum dinheiro com o canal do seu filho: o Youtube não publica anúncios do Google Ads nos canais infantis. Aliás, não sei se vão permitir por muito tempo que crianças façam vídeos na internet.

Talvez o futuro dos Miniyoutubers esteja com os dias contados.

2 comentários em “Minha filha quer ser YouTuber”

  1. Obrigada Ronaldo, Rafa e seus dois dogs, vocês são o exemplo do amor. Juntos, estão vencendo os obstáculos da vida. São vitoriosos.

    Telma

    Responder

Deixe um comentário