SUPERAÇÃO DO LUTO EM FRENTE ÀS CÂMERAS

A Rafa é uma lição de coragem e determinação para todos nós. Sou suspeito para falar, afinal, sou pai.

No entanto, essa opinião não é somente minha. Seus professores dizem que ela tem uma autoestima muito grande e sempre dá a volta por cima, encontrando formas para superar suas dificuldades.

 

Desenhar era uma forma de lidar com a morte da mãe

Quando ela perdeu a mãe aos 5 anos de idade, encontrou uma forma de aliviar sua tristeza: desenhar muito, muito mesmo. Desenhava no carro, no caminho da escola, desenhava em um pedacinho de papel que encontrava na mesa, no meu bloco de notas.

A mãe, representada na forma de estrela amarela com um sorriso, sempre fazia parte dos desenhos, até no meio de dinossauros a estrelinha aparecia.

 

Primeira vez no Encontro com Fátima Bernardes

A Rafa estava com seis anos de idade quando fomos convidados a participar do programa Encontro Com Fátima Bernardes. Antes de entrarmos ao vivo, conversou bastante com a Fátima Bernardes. Ficaram amigas 🙂 , mas na hora de entrar ao vivo, entrou em pânico e saiu correndo para fora do estúdio. Tudo na frente das câmeras, ao vivo!!!

“Todo mundo viu eu fugindo, pai”

Ficou muita envergonhada com o que acontecera. “Todo mundo viu eu fugindo, pai”, disse chorando. Por muito tempo ela ficou chateada com isso.

Certo dia, pediu para voltar ao programa. Pensei: “caramba, vou ter que passar por tudo isso de novo”. Não é fácil ficar em um palco, na frente das câmeras e falar para todo o Brasil sobre os meus sentimentos sobre a morte da mãe. Mas, se é por uma boa causa, vamos lá!

Enviei um email para a produção do programa e expliquei a situação: “a Rafaela ficou muito chateada porque saiu correndo e quer voltar ao programa para falar com a Fátima Bernardes”. Foi uma mensagem simples assim. E não é que eles me ligaram e deram um jeito para a Rafa voltar??!!!

 

Segunda vez no programa: superação do luto em frente às câmeras

Eu e a Rafaela, agora com 7 anos de idade, voltamos ao programa Encontro Com Fátima Bernardes.

A tensão foi grande. Será que ela vai sair correndo de novo? Vai ficar muda? Chorar desesperada?

A Fátima fazia sinal de positivo para a Rafa lá do palco, e a Rafa fazia o sinal de volta para dizer que estava tudo bem.

CHEGOU A NOSSA VEZ! Sorriso no rosto, pernas tremendo e a Rafinha segurando a minha mão com toda força.

A Rafa pegou o microfone e FALOU, NOSSA COMO FALOU!! Falou muito, falou confiante, determinada a dar a volta por cima e não sair correndo.

Eu? Ao contrário da Rafa, chorei muito e com vontade de sair correndo.

 

Assista aos vídeos do programa Encontro com Fátima Bernardes

Fátima Bernardes 2016 – A Rafinha saiu correndo

Fátima Bernardes 2017 – A superação do luto

 

“Superação” talvez não seja a palavra certa

Afinal, o que seria superar o luto? É quando a dor vai embora e a saudade fica? É quando aceitamos a perda de um ente querido? Ou, ainda, quando nos adaptamos a nova vida sem a pessoa que amamos?

Como uma mãe pode superar a perda de um filho? Como um filho, ainda criança, supera a perda da mãe ou do pai? Acredito que “superação do luto” não é o termo adequado. Acho que não superamos, mas nos adaptamos a uma nova vida sem a pessoa que amamos.

O luto é uma mistura de sentimentos tão complexos que a ciência não consegue explicar. Não pode ser comparado, por exemplo, à superação física de um atleta que, ao recuperar-se de uma lesão muscular, ganha uma medalha na olimpíada.

O luto é uma tristeza tão profunda que para descrevê-la a chamamos de “dor”, portanto, “superação” não é a palavra mais apropriada.

Salvar

Salvar

Salvar

2 comentários em “SUPERAÇÃO DO LUTO EM FRENTE ÀS CÂMERAS”

Deixe um comentário